Após dois anos em queda, vendas do varejo crescem 2% em 2017, diz IBGE Este trecho é parte de conteúdo que pode ser compartilhado utilizando o link http://www.valor.com.br/brasil/5316793/apos-dois-anos-em-queda-vendas-do-varejo-crescem-2-em-2017-diz-ibge ou as ferramentas oferecidas na página. Textos, fotos, artes e vídeos do Valor estão protegidos pela legislação brasileira sobre direito autoral. Não reproduza o conteúdo do jornal em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização do Valor (falecom@valor.com.br). Essas regras têm como objetivo proteger o investimento que o Valor faz na qualidade de seu jornalismo.

Após dois anos seguidos no campo negativo, o volume de vendas do varejo cresceu 2% em 2017, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi o melhor ano desde 2014 (2,2%).

Em dezembro de 2017, porém, as vendas varejistas surpreenderam negativamente e recuaram 1,5% em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. As promoções da Black Friday provocaram a antecipação de vendas em novembro e afetaram os dados do último mês do ano. Já era esperado um recuo nas vendas no varejo, mas não nessa intensidade.

Na média, 24 consultorias e instituições financeiras consultadas pelo Valor Data previa redução de 0,5% no mês. O intervalo das projeções era de queda de 1,7% a alta de 0,2%. Para o acumulado de 2017, a previsão era de crescimento de 2,3%. O IBGE revisou o resultado de novembro, de 0,7% para 1% de alta. Perante a
dezembro de 2016, houve elevação de 3,3%.

Por sua vez, a receita nominal do varejo registrou elevação de 2,2% em 2017, frente ao ano anterior. Somente em dezembro, no entanto, houve queda no comparativo com o mês antecedente, de 2,2%, já descontados os efeitos sazonais.

Varejo ampliado

O volume de vendas do varejo ampliado — que inclui o comércio de
automóveis e materiais de construção, atividades também influenciadas pelo atacado — registrou aumento de 4% em 2017. Foi o maior crescimento desde 2012 (+8%).

A alta do setor em 2017 ocorre após três anos consecutivos de
baixa: em 2014, houve recuo de 1,7%, um ano depois, a queda ficou em 8,6% e, em 2016, se situou em 8,7%.

O avanço ocorre apesar do declínio de 0,8% nas vendas entre novembro e dezembro, já descontados os efeitos sazonais. Ante o último mês de 2016, porém, o IBGE apontou expansão nas vendas, de 6,4%.

O resultado de dezembro ficou descolado da média das projeções dos consultados pelo Valor Data, de baixa de 1,3% no mês.
O volume de vendas de Veículos, motos, partes e peças e de Material de construção teve queda entre novembro e dezembro de 2017, de 0,1% e 1,7%, respectivamente. Quanto à receita nominal do varejo ampliado, o IBGE apontou alta de 3,6% em 2017, mas decréscimo de 0,7% de novembro para dezembro.

Fonte: Valor Econômico

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *