Comissão de Ética da Presidência arquiva denúncia contra Adams

A Comissão de Ética Pública da Presidência da República arquivou nesta terça-feira (20) denúncia feita ao colegiado pelo líder do PPS na Câmara, deputado Rubens Bueno (PR), contra o Advogado-Geral da União, Luis Inácio Adams. Bueno pedia que a comissão determinasse o afastamento imediato de Adams do cargo, além “de sua destituição do cargo”. Após a reunião, o presidente da comissão, Américo Lacombe, explicou a decisão à imprensa.

Na denúncia, Bueno acusou Adams de lançar dúvidas sobre a imparcialidade do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, relator do julgamento das contas do governo federal em 2014. No pedido, o deputado também acusava o advogado-geral de “abalar a honorabilidade do ministro”, durante entrevista coletiva à imprensa.

No último dia 4, Adams anunciou à imprensa que pediria o afastamento de Nardes da relatoria e do julgamento das contas de Dilma. Na ocasião, o advogado-geral da União disse que o ministro do TCU cometeu uma irregularidade ao manifestar opinião e antecipar publicamente o voto, que pedia a rejeição das contas do governo. O parecer de Nardes foi aprovado por unanimidade no TCU.

Por unanimidade, os integrantes da Comissão de Ética Pública afirmaram que Luis Inácio Adams não cometeu infração ética e que “ele agiu nos limites de suas atribuições funcionais e cumpriu regularmente seu dever de expor o ponto de vista defendido pela Administração Pública, sem extrapolar as balizas éticas que devem ser resguardadas perante as demais autoridades”.

Fonte: Portal G1

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *