Conselho da Petrobras aprova cargo de diretor de governança

A Petrobras  informou nesta terça-feira (25) que o seu conselho de administração aprovou a instituição do cargo de diretor de governança, risco e conformidade, em meio a denúncias de corrupção envolvendo a estatal. Segundo comunicado divulgado ao mercado, a função do diretor, que será eleito pelo conselho, é “assegurar a conformidade processual e mitigar riscos nas atividades da companhia, dentre eles, os de fraude e corrupção, garantindo a aderência a leis, normas, padrões e regulamentos”.

Ainda segundo a Petrobras, conselho da estatal elegerá “o novo diretor com base em lista tríplice de profissionais brasileiros pré-selecionados por meio de processo a ser conduzido por empresa especializada em seleção de executivos, que buscará profissionais de mercado com notório reconhecimento de competência na área”.

O anúncio da criação do cargo foi feito no dia 17 pela presidente da empresa, Graça Foster. Segundo ela, a nova diretoria visa o “cumprimento de leis e regulamentos internos e externos”. “Não é exatamente o que faz a nossa gerência executiva de auditoria, é um passo além. Passa a fazer parte do colegiado. Há convivência maior dos processos da companhia, além de muitas outras participações, atuações e responsabilidade”, explicou Foster durante a divulgação de dados operacionais do terceiro trimestre de 2014, em conferência com analistas e investidores.

Para a criação do cargo, não será aumentada a quantidade de diretores da empresa, já que será substituida a posição de diretor da área internacional, de acordo com a estatal. O mandato do novo diretor será de três anos, podendo ser renovado.

No comunicado divulgado nesta terça, a Petrobras ressalta que, “além do diretor de governança, risco e conformidade participar das decisões da diretoria executiva da Petrobras, as matérias a serem submetidas à deliberação deste colegiado deverão contar, necessariamente, com prévia manifestação favorável desse diretor quanto à governança, gestão de riscos e conformidade dos procedimentos”.

“Nos próximos sessenta dias, a Petrobras concluirá o detalhamento da estrutura e modelo de
atuação da nova diretoria, assim como o vínculo das atividades desenvolvidas na área de
negócios internacional”, finaliza o comunicado.

Denúncias
A Petrobras está no centro das investigações da operação Lava-Jato, da Polícia Federal. O esquema, segundo a PF, foi usado para lavagem de dinheiro e evasão de divisas que, segundo as autoridades policiais, e movimentou cerca de R$ 10 bilhões. De acordo com a PF, as investigações identificaram um grupo brasileiro especializado no mercado clandestino de câmbio.

Os principais contratos sob suspeita são a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, que teria servido para abastecer caixa de partidos e pagar propina, e o da construção da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco, da qual teriam sido desviados até R$ 400 milhões.

Fonte: Portal G1

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *