Santander Brasil tem lucro de R$ 1,66 bilhão no 1º trimestre de 2016

O Santander Brasil, maior banco estrangeiro no país, teve lucro líquido gerencial, ou recorrente, de R$ 1,66 bilhão, alta de 1,7% ante mesmo período de 2015.

Frente ao quarto trimestre do ano anterior, lucro cresceu 3,3%, segundo informou o banco em balanço divulgado nesta quarta-feira (27).

A carteira de crédito do Santander somou R$ 248,271 bilhões no primeiro trimestre – uma queda de 3,8% em 12 meses e de 4,9% na comparação trimestral.

O índice de inadimplência, superior a 90 dias, atingiu 3,3% do total da carteira de crédito, uma alta de 0,07 ponto percentual no trimestre e de 0,28 ponto percentual em 12 meses.

A inadimplência de pessoa física
atingiu 4,7%, com melhora de 0,04 ponto percentual p no trimestre e
avanço de 0,33 ponto percentual em 12 meses.

No segmento de pessoa jurídica, a inadimplência atingiu 2,1%, com leve alta de 0,04 ponto percentual no trimestre e um aumento de 0,12 ponto percentual em 12 meses.

Na Espanha

Já o Santander espanhol, o maior da zona do euro por capitalização, anunciou um lucro líquido no primeiro trimestre de 1,633 bilhão de euros, 4,9% a menos que no mesmo período de 2015, consequência das taxas de câmbio.

“Esta queda se deve a que todas as divisas dos países onde o grupo está presente, com exceção do dólar, registraram desvalorização ante o euro”, explica o Santander em um comunicado.

Sem o efeito das taxas cambiais, o lucro líquido aumenta 8% entre janeiro e março.

O produto líquido bancário, que corresponde ao valor agregado criado pelo banco, recuou 5,2% na comparação com o mesmo trimestre do ano anterior, a 7,624 bilhões de euros.

O Santander foi afetado por “taxas de juros historicamente baixas em moedas chaves para o grupo, como o euro e a libra”, explica o comunicado.

O Reino Unido é o país que mais contribui ao lucro líquido do banco, à frente do Brasil, com uma economia em recessão e que passa por uma profunda crise política.

O banco também foi afetado pela preferência de seus clientes de realizar operações pela internet e não nas agências, o que levou o Santander a estabelecer um plano de demissões que pode afetar 1.200 pessoas em 2016. O grupo tem 195.000 funcionários em todo o mundo.

Fonte: Portal G1

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *