Secretário de Trump considera “afronta” não questionar neonazistas

O secretário de Assuntos dos Veteranos dos Estados Unidos, David Shulkin, considerou hoje (17) uma “afronta” aos ex-combatentes americanos o fato de não se questionar os neonazistas.

Shulkin, que é judeu, disse em uma entrevista em Nova Jersey que os grupos de extrema-direita que se reuniram no sábado em Charlottesville (Virgínia) representam uma “afronta aos ideais americanos”.

“É uma afronta aos veteranos do nosso país que se permita não questionar os nazistas e supremacistas brancos. E sou definitivamente contrário a esses grupos”, disse Shulkin.

O secretário é dos poucos titulares do governo Trump que falaram sobre o ocorrido em Charlottesville, onde um neonazista avançou com seu automóvel contra uma manifestação antirracista, matou uma mulher e feriu outras 20 pessoas.

Trump culpou os “dois lados” pelos incidentes na Virgínia, um posicionamento muito criticado no país, inclusive por líderes republicanos. O mais contundente do governo foi o procurador-geral Jeff Sessions, que qualificou o atropelamento de um ato “diabólico” de terrorismo doméstico.

Centenas de pessoas participaram na noite de ontem em Charlottesville de uma vigília com velas em rejeição à violência da extrema-direita e em memória de Heather Heyer, a mulher assassinada pelo neonazista.

Ex-diretor da CIA vê “dano profundo” aos EUA

O ex-diretor da Agência Central de Inteligência (CIA, sigla em inglês) dos Estados Unidos, John Brennan, que ocupou o cargo durante o segundo mandato de Barack Obama (2013-2017), disse hoje que, com as suas “convicções”, o presidente Donald Trump causará um “dano profundo” à sociedade americana e à posição do país no mundo.

Brennan se posicionou assim em relação à resposta de Trump para o ocorrido em Charlottesville (Virgínia), onde um neonazista avançou com seu carro contra uma manifestação antirracista, matando uma mulher e ferindo em torno de 20 pessoas. O presidente culpou os “dois lados” pelos incidentes.

“As palavras de Trump e as convicções que elas refletem são uma desgraça nacional e todos os americanos de consciência têm que repudiar esses comentários horríveis e perigosos”, disse Brennan em uma carta dirigida ao apresentador da emissora CNN, Wolf Blitzer, que nasceu na Alemanha.

“Se lhe for permitido seguir por este caminho sem sentido, Trump causará danos profundos à sociedade americana e à nossa reputação no mundo. Com suas palavras e ações, Trump põe em grave risco a segurança nacional e nosso futuro coletivo”, finalizou Brennan.

Fonte: Agência Brasil

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *